Alcoolizado, empresário fecha avenida em Sousas

0
469
Um empresário de 45 anos foi preso em flagrante na quarta-feira (27), em Campinas, depois de provocar um congestionamento de um quilômetro e fechar um dos acessos ao distrito de Sousas por 20 minutos. Alcoolizado, ele parou o seu carro no meio da Avenida Antônio Carlos Couto de Barros, a continuação da Avenida Doutor Heitor Penteado, em Sousas. Agamenon Manoel de Lima Filho estava em Crossfox modelo 2011 e parou o veículo no meio da avenida. Houve congestionamento e uma viatura do Garra, da Polícia Civil, ficou presa no trânsito.
Os policiais foram verificar o que tinha ocorrido e descobriram que o empresário estava bêbado e estava provocando uma confusão. Ele tentou fugir, mas foi detido. O homem já responde na Justiça pelo crime de embriaguez ao volante. Essa foi a sua segunda autuação.
A confusão no trânsito ocorreu por volta das 12h40, bem no horário de pico. De acordo com testemunhas, o empresário, do ramo de segurança, parou na avenida, no sentido bairro/Centro, e deixou o carro atravessado na via. “Ele estava muito doido. Ora saia do carro e falava coisas desconexas, xingava e depois voltava para dentro do carro” , contou uma testemunha.
Durante o tempo em que permaneceu no local, ele foi até uma BMW que buzinava para ele sair da frente e chutou o carro. Quando percebeu a aproximação dos policiais civis, ele entrou no carro e foi embora. Os policiais seguiram o empresário e conseguiram abordá-lo alguns metros adiante, na mesma via.
Segundo relatos dos policiais, o homem quase não conseguia ficar de pé e falava de forma desconexa. Ele chegou a tentar desarmar um dos policiais, quando recebeu ordem de prisão.
De acordo com a polícia, o empresário já foi autuado duas vezes por embriaguez ao volante e atualmente cumpre medida cautelar. Questionado se havia ingerido bebida alcoólica, ele assumiu que tinha bebido duas doses de rum “Montila”.
“Ele é louco e vive aprontando por aqui. Todo mundo o conhece por aqui” , disse um morador.
Como a pena máxima para o crime ultrapassa dois anos, o delegado não arbitrou fiança e o empresário foi encaminhado para a cadeia anexa ao 2º Distrito Policial (DP), no bairro São Bernardo.

Fonte: Correio Popular