Faltam médico e pessoal para distribuir remédios, diz Conselho de Saúde

0
255
Arquivo | TODODIA Imagem

CS SÃO JOSÉ | Filas têm sido formadas já de madrugada
Falta pessoal para distribuição de medicamentos em Campinas, aponta o Conselho Municipal de Saúde. Por conta da situação, há remédios “presos” no almoxarifado da prefeitura, o que tem deixado a rede pública desabastecida, aponta a entidade. O grupo também alegou que, por falta de médico, pacientes têm feito fila em unidades de saúde já na madrugada.
Conforme relatório publicado ontem pela Ouvidoria Geral do Município, problema com medicamento foi o segundo principal alvo de reclamações no primeiro trimestre deste ano, com 169 registros. Ou seja, houve mais de uma por dia. O quesito “atendimento” aparece em primeiro na lista, com 247.
“Nesta semana, teve falta de insulina, sonda. São materiais bastante essenciais. Medicamento para pressão alta também”, disse a presidente do conselho, Haydée Lima.
De acordo com ela, o grupo tem uma “lista grande” de queixas sobre falta de remédio. “Alguns desses medicamentos estão no almoxarifado da prefeitura, mas não estão sendo distribuídos por falta de pessoal para fazer essa distribuição. É um problema muito sério”, comentou. Haydée afirmou que esses problemas têm afetado, principalmente, as regiões mais distantes do Centro, como o distrito de Campo Grande. “O pessoal de lá está sofrendo bastante”, declarou.
No entanto, a região que registrou mais reclamações foi a Leste, com 50, conforme consta no relatório da Ouvidoria, disponível no Diário Oficial do Município. O território abrange a AR (Administração Regional) 14 e os distritos de Sousas e Joaquim Egídio. “É um povo que reclama mais. Trata-se de uma região com nível socioeconômico melhor”, disse.
Segundo a presidente do conselho, o assunto será discutido pelo grupo na reunião plenária de amanhã.

Fonte: Jornal TodoDia