Membros de quadrilha presa em operação integram facção e roubavam condomínios com ‘uso de armas e violência’, diz MP

0
239

De acordo com o Gaeco, suspeitos assaltavam residências de alto padrão em Campinas (SP). No total, 19 pessoas foram presas em quatro cidades do estado; ação foi em conjunto com a Polícia Militar.

Ministério Público e PM prendem suspeitos de roubos em condomínios fechados no estado

A quadrilha especializada em roubos a condomínios fechados de Campinas (SP) praticava assaltos a residências com uso de armas e violência física. A informação é do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), responsável pela operação desta terça-feira (25) que prendeu 19 pessoas em quatro cidades de SP. De acordo com a Promotoria, parte dos membros também faz parte de uma facção criminosa que atua no estado.

Ainda segundo o Ministério Público, a Oeperação Anacrônica teve o apoio do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep). No total, foram cumpridos 11 mandados de prisão em Campinas e 13 pessoas foram detidas, já que a PM efetuou um flagrante e a prisão de um procurado durante a ação. Além disso, houve outras três prisões em Araçatuba (SP), Cardoso (SP) e Jarinu (SP).

Outras três pessoas listadas já haviam sido detidas anteriormente, totalizando 19 prisões. De acordo com a Polícia Militar, foram apreendidos 58 quilos de maconha, 1 quilo de cocaína, armas (dois revólveres, um carabina e uma espingarda), R$ 16,4 mil em notas falsas, munições, além de quatro veículos, celulares, computadores e documentos.

Operação do Ministério Público cumpriu mandados nesta terça (Foto: Marcello Carvalho/G1)Operação do Ministério Público cumpriu mandados nesta terça (Foto: Marcello Carvalho/G1)

Operação do Ministério Público cumpriu mandados nesta terça (Foto: Marcello Carvalho/G1)

Investigação

O Gaeco afirmou que a operação é resultado de seis meses de investigação. Das pessoas que foram presas por conta dos roubos a casas em condomínios fechados, pelo menos duas também integram a facção criminosa. De acordo com o promotor Daniel Zulian,, os suspeitos assaltavam as residências sempre armados, rendiam os moradores e, em algumas situações, utilizavam violência física.

Segundo os promotores, foram realizados pelo menos dez roubos a condomínios de alto padrão em Campinas, alguns na região do distrito de Sousas e também do bairro Gramado. O Gaeco informou que a investigação ainda está em curso e outras pessoas podem ser detidas. O Ministério Público não tem um balanço total de quantos assaltos foram feitos na região.

Para tentar quantificar o número exato de roubos, a Promotoria solicitou que vítimas de assaltos recentes em condomínios fechados procurem o Gaeco para fazer o reconhecimento de eventuais suspeitos ou de objetos que foram levados. O telefone divulgado pelo MP para contato é: (19) 3578-8306. Um dos membros da quadrilha também é suspeito de agir no estado de Minas Gerais.

“É muito importante que as vítimas nos procurem para fazer esse reconhecimento, porque nós temos o conhecimento de alguns roubos, mas muitos outros podem nem ter sido registrados. Era uma quadrilha organizada, especializada em assaltar condomínios fechados, nós conseguimos desarticular, mas como a investigação ainda existe, precisamos continuar a identificação”, disse o promotor Jandir Torres Neto.

Apreensões e prisões

De acordo com a Polícia Militar, apenas um dos suspeitos detidos nesta terça-feira tentou fugir, mas foi localizado pela corporação. Os objetos e drogas, além de todas as pessoas presas na operação, foram encaminhados para a 2ª Delegacia Seccional de Campinas.

Suspeito de roubo em condomínios dentro da viatura da Polícia Militar, em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)Suspeito de roubo em condomínios dentro da viatura da Polícia Militar, em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)

Suspeito de roubo em condomínios dentro da viatura da Polícia Militar, em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)

Fonte: Membros de quadrilha presa em operação integram facção e roubavam condomínios com ‘uso de armas e violência’, diz MP | Campinas e Região | G1