Construção de ponte fica para 2021 

0
723
Reivindicação antiga dos moradores dos distritos, obra estava prevista para começar em outubro
A estrutura da antiga ponte foi interditada definitivamente em outubro de 2019, por risco de queda
Wagner Souza/AAN

A estrutura da antiga ponte foi interditada definitivamente em outubro de 2019, por risco de queda

Aguardado para outubro, ficou para janeiro de 2021 o início da tão esperada construção de uma nova ponte sobre o Rio Atibaia, para ligar a Estrada Municipal Dona Isabel Fragoso Ferrão (CAM-127), no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas, à Rodovia Dom Pedro I (SP-065). O anúncio sobre a nova data foi feito ontem pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-SP).
O DER-SP informou o novo prazo, em nota, detalhando também que, nesse momento, “o certame de contratação dos serviços está em fase de conclusão”. Em 20 de outubro, foi publicada a habilitação da empresa Alcalá no Diário Oficial do Estado para construção do equipamento.
O novo acesso para região é visto como solução para um melhor trajeto para a área rural do entorno e é reivindicação antiga dos moradores e donos de chácara. Depois de abrir e fechar algumas vezes, a estrutura antiga foi interditada definitivamente em outubro de 2019, por apresentar risco de queda. Desde então, a população local reclama da falta de informações e celeridade do processo. Esse acesso é visto como um socorro aos enormes congestionamentos registrados nas ruas dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio, principalmente, aos finais de semana.
A estrutura antiga, atualmente interditada, comporta um veículo por vez. No momento, segue sendo utilizada apenas por pedestres. Não foi informado ainda se a estrutura será demolida. O novo dispositivo deve, provavelmente, ser erguido em um ponto diferente.
O acesso aos condomínios e sítios de Joaquim Egídio, hoje, ocorre pela Rodovia José Bonifácio Coutinho Nogueira (SP-081), via que também corta o distrito de Sousas.
Em 15 de agosto passado, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), publicou um vídeo no Facebook dizendo que a licitação já estava concluída, que havia uma vencedora e faltava apenas a qualificação da empresa. Na oportunidade, recordou que a obra vai custar cerca de R$ 3 milhões e frisou que, com a assinatura do convênio com o DER, os trabalhos deveriam começar em outubro. Encerrou enfatizando que era uma grande notícia para a população de Joaquim Egídio e Sousas. Esses distritos têm aproximadamente 5 mil e 20 mil habitantes, respectivamente.
Contudo, em meados de outubro, o DER-SP informou que o edital para contratação das obras seguia em análise da documentação das empresas participantes. A informação contradisse a declaração de Jonas.

Origem: Correio Popular