Polícia investiga aumento de furto de gado na zona rural de Campinas, SP

0
389

No 12º DP da cidade há sete inquéritos que apuram este tipo de crime.Consumo de carne clandestina coloca em risco à saúde, diz pecuarista.

 A Polícia Civil de Campinas (SP) investiga o aumento de furto de gado na zona rural da cidade. No 12º distrito policial do município, que atende as regiões de Sousas e Joaquim Egídio, são sete inquéritos em andamento. O consumo de carne clandestina coloca em risco à saúde dos consumidores, segundo pecuarista.

A suspeita da polícia é de que quadrilhas de outras cidades da região estejam agindo nas fazendas de Campinas e por isso, está sendo feito um levantamento nos açougues para ver quais carnes estão sendo comercializadas no município.

Número de furtos de gado aumentou na Zona Rural de Campinas, SP (Foto: Reprodução/ EPTV)Sindicato estima número maior de crimes do que
de inquéritos em aberto (Foto: Reprodução/ EPTV)

4 vezes
Uma fazenda de 120 alqueires ao lado do Parque Xangrilá, no limite com Jaguariúna (SP), foi invadida quatro vezes em novembro.

O rebanho ficou com seis animais a menos, cinco bois e um touro reprodutor, avaliado em R$ 7 mil.

Os criminosos mataram o touro no meio do mato e abandonaram a cabeça e as patas do animal. Também deixaram no local um saco plástico e uma faca.

“Provavelmente devem matá-lo ou por marretadas ou por tiro. Eles pegam, cortam a cabeça e as patas fora, provavelmente, para ficar mais fácil de carregar, já limpam mais ou menos a carne no local e carregam em pedaços mais leves para deslocar”, afirma o pecuarista Cássio Gonzales.

Gado na Zona Rural de Campinas, SP (Foto: Reprodução/ EPTV)Consumo de carne clandestina é perigoso para a
saúde (Foto: Reprodução/ EPTV)

Perigo do consumo da carne
Outros três pecuaristas vizinhos também foram vítimas de furto de gado. Para evitar o prejuízo, Gonzales mandou recolher o rebanho à noite. E faz um alerta para o perigo de consumir a carne do gado abatido na fazenda.

“Os dois bois que mataram e levaram na semana passada tinham acabado de receber dose de vermectina e aftosa. O consumo dessa carne é inapropriado para o ser humano, tem um prazo de carência da vacina até o consumo de aproximadamente de 120 dias”, explica o pecuarista.

De acordo com a prefeitura, Campinas possui uma área rural com uma extensão de 407,5 km², que correspondem a 51,2% da área total do município. A cidade possui também uma área de proteção ambiental (APA) de 222,5 km² que está, em sua maior parte, localizada na área rural.

Investigação
A investigação da polícia inclui um levantamento em açougues para tentar descobrir se há carne clandestina sendo vendida e chegar aos ladrões.

Além dos sete inquéritos em aberto no 12º DP, o Sindicato Rural de Campinas acredita que o número de casos que chega à polícia é menor do que o de ocorrências por conta do medo de alguns pecuaristas em denunciar as ações criminosas.

Zona Rural de Campinas, SP (Foto: Reprodução/ EPTV)Moradores da Zona Rural reivindicam segurança
em Campinas (SP) (Foto: Reprodução/ EPTV)

O sindicato também afirma que tem orientado as vítimas a registrar boletim de ocorrência para ajudar a polícia nas investigações e também para cobrar mais policiamento preventivo nas zonas rurais.

De acordo com o advogado do sindicato, Fernando Píndola, o presidente da organização conversou com o secretário municipal de Segurança e relatou o problema, enfatizando a cobrança de que a Guarda Municipal também faça um plano de segurança nas áreas agrícolas.

“Nós estamos reivindicando que também exista uma base na região de Carlos Gomes, Gargantilha e uma outra base na região de Friburgo e Viracopos”, diz Píndola.

Segurança
A Guarda Municipal afirma que está finalizando um cadastramento e um mapeamento das propriedades rurais na cidade e que já existe uma base rural e outra ambientel para ajudar no combate aos crimes.

Já a Vigilância de Saúde de Campinas afirma que não foi notificada sobre nenhum caso exibido na reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, e sobre a venda de carne de origem criminosa.

A vigilância confirma ainda que alguns medicamentos exigem um período de espera para o abate do animal e consumo da carne.

Polícia investiga aumento de furtos de gado em Campinas (Foto: Reprodução/ EPTV)GM afirma que está fazendo mapeamento das propriedades rurais na cidade (Foto: Reprodução/ EPTV)

Fonte: G1 – Polícia investiga aumento de furto de gado na zona rural de Campinas, SP – notícias em Campinas e Região